Quem somos

A História da Cetil


Fundada no dia 12 de março de 1969, a Cetil é fruto da visão dos empresários blumenauenses da área têxtil. As maiores indústrias têxteis da região Cremer, Karsten, Hering, Sulfabril, Teka, Renaux, Haco, Malharia Indaial, Altona, Industrial Garcia, Schloesser e Malharia Blumenau se uniram com os dois primeiros sócios diretores, Ingo Greuel e Décio Salles e criaram o Centro Eletrônico da Indústria Têxtil.

A Cetil teve um crescimento espetacular, e logo em seguida passou também a prestar serviços para empresas de todo o país, principalmente no mercado financeiro. Com isso, transformou-se no maior bureau privado da América Latina, criando a Rede Nacional de Informática e instalando-se em todo o país.

Assim, a corporação estava dando o primeiro passo para a criação de um dos mais ativos pólos de informática do Brasil. Em 1975 a empresa participou da criação, na FURB, de um dos primeiros cursos de processamento de dados do Brasil.

Em 1980 a Cetil venceu uma concorrência no Ministério da Justiça, junto ao Departamento de Polícia Federal, para o primeiro recadastramento de estrangeiros no Brasil. Para executar esse serviço, a Cetil utiliza impressão a laser e estabelece mais um marco: é a primeira empresa do Brasil a inovar empregando essa tecnologia.

A partir de 1983, impulsionado pelo desenvolvimento da informática no Brasil, muitos técnicos formados dentro da Cetil começaram a criar suas próprias empresas, predominantemente de desenvolvimento de programas e sistemas. Vinte anos depois, o resultado: operam em Blumenau mais de 500 empresas da área, metade delas focada na produção e desenvolvimento de software, e que posicionam a cidade catarinense como referência do segmento no Brasil.

Somadas, as empresas de Blumenau detêm 53% do mercado catarinense e 30% dos negócios do sul do país. De acordo com dados da Blusoft, a cidade concentra 5% das software houses do país, que faturam 2,5% do total do setor. Em Blumenau, existem mais empresas de informática do que padarias.

Retrospectiva

1969 – Nasce o Centro Eletrônico da Indústria Têxtil, com o objetivo de atender as maiores indústrias têxteis da região;

1970 – Em 1975 a Cetil participa da criação – na FURB – de um dos primeiros cursos de Processamento de Dados do Brasil;

1980 – A empresa vence uma concorrência no Ministério da Justiça para fazer o primeiro recadastramento de estrangeiros no país; É também a primeira empresa do país a utilizar impressão a laser;

1990 –
 Reestruturação da Cetil, agora com mais um desafio: prover soluções para a Gestão Pública;

2000 –
 A empresa, atenta às inovações e necessidades tecnológicas, integra as suas soluções a Internet e ao geoprocessamento, utilizando tecnologias de computação e de coletas de imagens por satélite, assegurando as possibilidades de análises espaciais voltadas para o crescimento ordenado e inteligente.